Whey Protein: A poderosa proteína do soro do leite

Por: Giovana Guido

47

Whey Protein: A poderosa proteína do soro do leite:

Conhecida também como proteína do soro do leite, a whey protein é altamente digerível e rapidamente absorvida pelo organismo, aumentando a produção de proteínas no sangue e tecidos.
Além disso, possui funções antimicrobianas, anti-hipertensivas, reguladoras da função imune e atua como fator de crescimento (ganho de massa muscular magra).

whey protein é rica, principalmente, nos aminoácidos lisina, leucina, triptofano, cisteína e isoleucina.
O benefício sobre o ganho de massa magra está relacionado principalmente à leucina (importante desencadeadora da síntese proteica).

Números: 100g de concentrado proteico do soro do leite (cerca de 3 medidas) possui, em média, 414 kcal, 80g de proteínas, 7g de gordura e 8g de carboidratos. 
A versão isolada é totalmente isenta de carboidratos, gordura e lactose.
A versão hidrolisada possui composição semelhante, a diferença é que suas partículas são pré-digeridas.

A prática de exercícios  requer maior ingestão de proteínas, o que se deve a uma maior utilização de aminoácidos como fonte de energia e construção de músculos.
Então, a inclusão de proteínas do soro do leite na dieta mostrou aumentar os níveis de aminoácidos circulantes e melhorou a reparação de tecidos em diversos estudos publicados.

Considerando  que o exercício físico intenso causa depressão imunológica, produção de radicais livres e catabolismo proteico, e que as proteínas do soro do leite agem estimulando o sistema imune.
Algumas frações são antioxidantes e impedem o catabolismo devido à rápida digestão e assimilação.
É de se esperar que sua ação seja benéfica ao organismo antes e após os exercícios.

Suplementação:

A ingestão de proteínas de rápida absorção após o exercício favorece a recuperação e aumento da massa muscular.
Quanto menor o intervalo entre o término da atividade e a ingestão proteica, melhor será a resposta anabólica ao exercício.
Consuma um shake com whey protein após os treinos com cerca de 20-30g de pó e 250-300 ml de água, leite desnatado ou leite de soja. 
O ideal é que esse shake possua também alguma fonte de carboidrato, sendo maltodextrina ou dextrose (50-80g), para que o carboidrato atue na reposição do glicogênio.
E a proteína seja direcionada para a reparação muscular.

Sobre o autor: Giovana Guido
Nutricionista com 10 anos de formação/experiência
Capacitada em Musculação pela FPA/SP
Escritora e  Palestrante