Ervas Aromáticas: Um toque especial a sua comida.

Por: Jacqueline Moniz

26

Ervas Aromáticas: Um toque especial a sua comida.

As ervas aromáticas são plantas utilizadas como aromatizantes, dos quais utilizamos as folhas, sementes e flores.
Podem ser acrescentadas em diversas preparações, decorando, modificando a aparência visual e tornando os pratos mais temperados, atraentes e requintados.
Possuem pouquíssimas calorias.

Um ponto importante é saber dosar a quantidade utilizada, pois algumas ervas possuem sabor acentuado, podendo prejudicar o sabor verdadeiro do alimento.

Pessoas hipertensas , ou aquelas com o paladar e o olfato alterados devidos a tratamentos como a quimioterapia, devem abusar das ervas frescas que temperam e oferecem um paladar bastante agradável.

Veja as principais:


Manjericão:
Muito utilizado em preparações italianas, principalmente em molhos de tomate. Contém óleos essenciais capazes de excitar a atividade das mucosas das vias respiratórias e gastrointestinais; também benéfico aos rins e nervos.

Manjerona:
É uma erva adocicada. Pode ser utilizada em pizzas, assados e molhos. É afrodisíaca, digestiva, expectorante, ajuda a amenizar os sintomas da asma, bronquite, resfriado e tosse.

Hortelã: 
Pode ser utilizada em sucos, chás, saladas, molhos, vitaminas, cozidos, entre outras preparações. É rico em cálcio, ferro, fósforo, vitaminas A, C, e do complexo B. Possui ação digestiva, tônica, anti-espasmótica e calmante. Purifica o hálito, combate gripe e resfriados e vermes.

Sálvia:
Pode ser encontrada fresca ou seca, podendo aromatizar carnes, aves, peixes, vegetais, queijos e ovos. Procure não misturar com outras ervas, pois poderá perder o seu aroma. Tem ação tônica, digestiva, diurética, estimulante, antiespasmódica e anti-séptica.


Orégano:

Erva muito utilizada na cozinha do Mediterrâneo. São utilizadas as suas folhas, frescas ou secas, pelo sabor e aroma que dão aos pratos. Ativador do sistema digestivo e sexual; atua como diurético e antiflatulento.
Estragão:
 É acrescentada a molhos, frangos, peixes, ovos etc. Possui sabor acentuado, devendo ser utilizada com moderação. Tem ação diurética e depurativa do sangue.

Salsa:
Existem dois tipos, de folhas lisas e frisadas. As folhas lisas são muito utilizadas para decorar pratos. Porém, ambas podem ser utilizadas em diversas preparações, como molhos, saladas, farofas, cozidos etc. A salsa é rica em fibras, vitamina A, cálcio, fósforo, ferro, além das vitaminas C, E e do complexo B. A salsa deve ser evitada pelas mulheres grávidas, pois pode provocar sangramentos.
Coentro:
É muito utilizada em preparações com alimentos do mar, como peixes, mariscos e camarões, além de carnes brancas e legumes. É fonte de vitamina C, magnésio, cálcio, fósforo, ferro, fibras.
Modera o apetite, auxilia em problemas estomacais, gases e cólicas. Tem propriedade diurética e ansiolítica (reduz a ansiedade, nervosismo).
Louro: 
É encontrado fresco, seco e em pó. Usado com moderação, é um ótimo tempero para feijões, ensopados, assados e carnes grelhadas.
Têm ação digestiva e carminativa (antiflatulento, contra gases); utilizado no tratamento de afecções gástricas e reumáticas.
Alecrim:
Acrescenta-se em carnes, aves, peixes e massas. Possui substâncias antioxidantes, que previnem doenças cardiovasculares e estimula a circulação.
Ativa a função do pâncreas (ajuda no tratamento do diabetes), auxilia na digestão e tem propriedades antireumáticas.
Tomilho:
É encontrada fresca, seca ou em pó, pode-se utilizar em carnes, sopas, peixes, queijos e ovos. Contém um óleo essencial de ação bacteriana e desinfetante, habitualmente usa-se como conservante.
.
Sobre o autor:
Nutricionista esportiva e coach: Jacqueline Moniz
Facebook